Os maiores desafios: atualização e prática

Em uma carreira tão dinâmica e complexa como Relações Internacionais, encontramos uma grande dificuldade para seguir atual. Diferente de outras profissões, essa sofre uma transformação acelerada e requer um contínuo acompanhamento das pautas internacionais, independente da área.

Após um tempo de formado comecei a sentir esse impacto. Meu diploma foi se apagando. O maior desafio era continuar um profissional atualizado e com experiências práticas diversas.

Nosso primeiro impulso é fazer uma especialização. Encontrei outra barreira. Existem poucas oportunidades e a grande maioria é inacessível em termos financeiros e de localidade.

COMO SE MANTER ATUAL E ÚTIL

Se atualizar profissionalmente não requer que você faça cursos de longa duração. Você pode começar a ler livros, pesquisar sobre novos assuntos ou assistir documentários. Mas isso consome um tempo enorme. Tempo que já é escasso. Muitas vezes, por não ter o auxílio de outros profissionais, acabamos criando um problema ainda maior: cair em um limbo e não avançar para a prática profissional.

Conheço pessoas que estudam loucamente e não conseguem responder às demandas da prática profissional. São ótimos para falar de teorias mirabolantes e traçar cenários inimagináveis para eventos internacionais.

Não basta ter muito conteúdo, se não tiver ferramentas e formas de começar a praticar. Conteúdo de gaveta é o que mais encontramos nas Relações Internacionais. Certamente você tem alguns estudos/artigos nunca publicados e aplicados. Então é aí que está o X da questão: como pôr em prática e validar os conceitos estudados?

Estudando outras carreiras, notei a grande quantidade de cursos livres. Essa modalidade de ensino tem a grande vantagem de ter uma troca de experiência profissional e conteúdo objetivo. A Educação Profissional tem duração variável, metodologias próprias e é destinada a proporcionar a estudantes e trabalhadores conhecimentos para profissionalização e atualização. Esses cursos produzem um impacto rápido na carreira, não exigem um longo período de estudos e transmitem de forma prática o guia de atuação profissional.

Além disso, esses cursos cumprem um papel fundamental, já que nem todos profissionais possuem nível superior ou disponibilidade de recursos para fazer uma pós-graduação ou MBA, que, muitas vezes, beneficia apenas quem já está atuante no mercado e quer uma nova titulação. Mas, infelizmente, são raríssimos nas Relações Internacionais.

PASSOS PARA SER UM BOM PROFISSIONAL

Para criar novas oportunidades é preciso também munir o profissional com o conteúdo necessário e relevante e o principal, estimular práticas e vivências profissionais.

Cobrar das autoridades posicionamento

As práticas profissionais em Relações Internacionais são diversas. Você pode, por exemplo, ligar para o secretário de Assuntos Internacionais de uma universidade e questionar quais ações desenvolvem, quais os caminhos que escolheram para ampliar o leque de convênios e o reconhecimento internacional. Essa é uma atividade que todos internacionalistas deveriam fazer em suas cidades. Agende um encontro com o prefeito para questionar por que não existe uma secretaria de assuntos internacionais e o que fazem para promover a cidade internacionalmente.

Participar de encontros e eventos profissionais

Uma das principais atividades de profissionais de alto nível: construção de redes de atuação e defesa da carreira. Organize na sua cidade um evento para reunir profissionais e interessados no campo, assim você se mantém atualizado, encontrar os seus pares para debater temas relacionados ao mercado de trabalho e questões diversas, pode, além de tudo isso, encontrar parcerias para executar alguns trabalhos profissionais.

Fazer cursos livres de atualização profissional

Como dito, os cursos livres não requerem nenhuma experiência ou formação, e são úteis para criar um caminho rápido e inteligente para ação profissional. Além de custarem um valor módico, se comparado com outras formas de ensino convencionais, você não corre o risco de se comprometer um curso de longa duração e descobrir que não tinha interesse real nele.

Participar de Congressos Profissionais Online

Em outras carreiras, como Direito, você encontra eventos diversos e que visam atualização rápida sobre o que está acontecendo, busca trazer profissionais de sucesso e que atuam em defesa de suas pautas coletivas. Dentro do curso de Relações Internacionais essa modelo ainda é muito recente, mas já encontra uma grande aceitação, pois integra toda a comunidade de profissionais em uma rede e põe em contato com temas de alta relevância para a ação e atualização.